Recriar Ansiedade

RECONHECENDO A ANSIEDADE

 

Muito se escuta a respeito de Ansiedade, essa sensação que nos acomete em vários momentos de nossa vida, seja em situações corriqueiras do dia-a-dia ou quando somos levados por ela para procurar um tratamento psicoterápico e medicamentoso.A ansiedade é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis e outras alterações associadas à disfunção do sistema nervoso autônomo.

 

É importante informar neste texto que existe a Ansiedade patológica e a Ansiedade normal.

Segue abaixo definições de ambas:

 

•      Ansiedade normal é compreendida como uma maneira do ser humano se colocar alerta em situações de perigo. Para ilustrar pode-se mencionar o exemplo do “homem das cavernas”, em que este tinha a ansiedade como uma forma de autopreservação (sobrevivência) para preparar-se para uma luta ou fugir de algum predador. Trazendo para os dias atuais, tem-se o exemplo da Ansiedade em situações que requerem preparação, como entrevistas de emprego e apresentação de um Job. Em outras palavras, essa ansiedade não paraliza o indivíduo e sim o move adiante.

 

•      Ansiedade patológica é aquela que atrelada com o medo paralisa o indivíduo e causa muito sofrimento mesmo quando “nada está acontecendo”, de modo que deixa de aproveitar momentos em família e com amigos por estar alerta para toda e qualquer situação de perigo com ele ou com os seus. Sendo assim, o indivíduo busca uma maneira de evitar e escapar de situações em que possa se sentir exposto a situações de perigo. Sente-se medo, mas não sabe exatamente de que.

E por onde caminha a Ansiedade?

•      Distúrbio de Ansiedade Generalizada: Estado de ansiedade e preocupação excessiva sobre diversos problemas cotidianos (trabalho, escola, familiares, casa) e que conta com a presença de 3 ou mais  sintomas específicos (inquietação, fadiga, cansaço fácil, dificuldade de concentração, irritabilidade, entre outros) por pelo menos 6 meses na maior parte dos dias.

 

•      Transtorno Obsessivo-Compulsivo: Estado em que se apresentam pensamentos invasivos e repetitivos com necessidade de realizar alguns rituais (Ex. lavar as mãos repetidas vezes, organizar, colecionar objetos) que causam grande sofrimento à pessoa, e tem como objetivo diminuir o grau de ansiedade e a crença que assim afastam-se situações de perigo de si e de outras pessoas.

 

•      Stress pós traumático: Estado ansioso com expectativa recorrente de reviver uma experiência que tenha sido muito traumática (Ex.: assalto, acidente grave, agressão). Faz parte dos Distúrbios de Ansiedade, pois a pessoa passa a evitar situações de perigo, de maneira que tudo lhe é ameaçador.

 

•      Síndrome do Pânico: O medo é excessivo e intenso, sentimento quase sempre presente em crises de pânico, tais crises contam com ansiedade e medo de morrer ou perder o controle. Alguns dos sintomas corporais são: taquicardia, sensação de falta de ar, asfixia, suor frio, tremores, formigamentos. Quando essas crises se tornam recorrentes e com medo de novas, este quadro é caracterizado de Síndrome do Pânico.

 

•      Agorafobia: Sente-se ansioso ou desconfortável em lugares ou situações das quais é difícil escapar e conseguir ajuda, como por exemplo quando se encontra  numa multidão, sozinho, atravessando uma ponte, dentro do carro, metrô ou avião;

 

•      Fobia Social: Sente-se medo ou incomodado por estar no centro das atenções (principalmente quando rodeado de pessoas estranhas ou pouco familiares), medo de ser avaliado e/ou humilhado em situações sociais (ex.: falar em público, comer com outras pessoas; escrever enquanto alguém está olhando).

 

•      Fobia Simples: Sente muita angústia, medo intenso e desproporcional relacionado a um objeto ou situação específica (ex.: animais, altura, caco de vidro);

 

Como é uma crise de Ansiedade?

Em uma crise de Ansiedade é comum sentir o coração bater acelerado, tonturas, falta de ar, sentimento de nó na garganta, angústia profunda, pensamento em excesso, sensação de que se perdeu o controle, medo intenso do que se pode acontecer.

 

Como é o tratamento?

 

A Ansiedade Patológica deve ser tratada como uma doença e diagnosticada por um profissional capacitado (Psicólogo, Psiquiatra e Neurologista) e é indicado que o indivíduo inicie o tratamento com sessões de psicoterapia.

 

O principal objetivo da terapia é reconhecer o que desencadeia a Ansiedade e buscar prazer para as atividades que a pessoa pratica. Para o tratamento geralmente são utilizados medicamentos (ansiolíticos ou antidepressivos) prescritos por profissionais;

 

É importante para a qualidade de vida do indivíduo que este busque uma válvula de escape para poder aliviar a tensão gerada pela Ansiedade e assim desacelerar, como por exemplo, fazer atividades que exijam paciência como meditação, pintura, coisas que realmente o fazem sentir-se bem. Pode-se ainda mudar a alimentação e praticar exercícios físicos.

 

Nos dias de hoje realizamos muitas atividades diariamente, como trabalho, administração da casa, família e etc, nos empenhando sempre em nossos deveres e obrigações, mas é importante e necessário olharmos com atenção para nós mesmos, para nossas sensações e sentimentos, dessa maneira podemos prevenir e até evitar muitas doenças.

 

Caso você se reconheça no que leu no texto acima, saiba que a ansiedade tem tratamento através da psicoterapia e em alguns casos em conjunto com a terapia medicamentosa. 

 

​Procure ajuda, procure um psicólogo.

 

 

Cássia Márcia de Sousa – CRP: 06 / 122963

Psicóloga Clínica com Aprimoramento em Terapia Comportamental.

 

Paula Campos – CRP: 06 / 79405

Psicóloga Clínica com abordagem em Gestalt-terapia com aperfeiçoamento em psicoterapia breve. 

 

Aline Silva de Andrade - CRP: 06 / 121748

Psicóloga Clínica com abordagem em psicanálise, enfoque no atendimento infantil e adulto.

separador.png